Como viajar barato e aproveitar o melhor das férias

Como viajar barato e aproveitar o melhor das férias.

Viajar barato é o objetivo de qualquer pessoa que quer dar a volta ao mundo, fazer um intercâmbio, sair em lua de mel, tirar férias em família ou curtir o fim de semana. Pois saiba que se você se dedicar a um planejamento, poderá economizar e curtir o roteiro de viagem dos sonhos!

Agregar à vida experiências enriquecedoras é um dos principais benefícios de uma viagem. Crescemos com o aprendizado, com o conhecimento de outras culturas, com o respeito às diferenças.

Mas há ainda uma outra forma de amadurecimento que podemos trazer para nossa personalidade: a capacidade de focar em prioridades, de evitar desperdícios (de tempo e dinheiro), de resolver problemas com independência e encontrar soluções alternativas para os imprevistos.

Mais do que lazer, viajar pode representar um salto em diversas habilidades pessoais. Pode acrescentar não só para as histórias que contaremos no retorno e no futuro, para nossos netos, mas também pode ampliar nossa visão da realidade e impactar nossa filosofia e estilo de vida.

Quer viver experiências que possam encher sua bagagem (de vida!) de bons fluidos e energias, sem gastar muito? Então continue conosco neste post! Veja algumas dicas que temos pra você!

2. Planejamento de viagem

Viagens econômicas são possíveis. Hoje a concorrência entre as companhias aéreas e redes de hotéis força preços mais competitivos e acessíveis a todas as classes sociais.

O que muitas vezes acontece é que deixamos tudo para a última hora e sempre que tentamos comprar uma passagem ou reservar uma hospedagem, os preços estão lá nas alturas. Aí ficamos com aquelas lamúrias de que as promoções que vemos nas redes sociais são enganosas, as pessoas falam que viajam barato, mas é tudo mentira.  E uma série de outras desculpas.

Na verdade, o que precisamos assumir, quando passamos por essa situação, é que estamos sendo desorganizados e nada estratégicos, por isso não encontramos boas oportunidades para viajar.

Para mudar essa realidade, é preciso investir tempo em planejamento. Essa é a melhor maneira para conseguir descontos, otimizar roteiros e custos com deslocamentos, além  de conseguir se alimentar bem, sem que isso doa tanto no bolso.

Neste tópico, vamos trazer algumas noções para que todo viajante possa fazer um bom planejamento para sua viagem, maximizando o tempo no destino e reduzindo as despesas.

Dicas de planejamento

2.1. Defina o básico

Uma viagem é um período de felicidade com início e fim. Então esse é o primeiro passo a ser vencido na organização de um tempo fora.

Definidas as datas de ida e de volta, é hora de resolver o destino. Existem pessoas que optam por marcar as férias ou folgas em feriados prolongados e não têm preferência por um local específico para descansar. Elas se guiam por promoções ou épocas de baixa temporada em determinada região e é isso que define o “para onde eu vou”.

Independentemente do seu método, não há como fugir dessas duas definições (data e local) para só então iniciar um bom planejamento.

2.2 Pesquise muito

Calendário e destino definidos, é hora de pesquisar sobre os atrativos do local, custo de vida, preço de passeios, hospedagem e transporte. Aí não tem saída: o jeito é pesquisar!

A internet está aí para facilitar a vida do viajante. Tudo o que precisamos estará lá, com várias opções para todos os gostos e bolsos.

A informação está disponível e cada vez em maior nível de detalhe. Se a pessoa não tiver muito dom para planejamento, existem sites e blogs com roteiros prontos que precisam apenas de algumas adaptações. E ainda trazem todo tipo de informação, como valores recentes de passeios.

Para não se perder diante de tantas abordagens, dicas e impressões de outros turistas, o ideal é ir copiando as informações que interessam para um arquivo do tipo “resumão”. É comum esse material “bruto” ficar gigantesco, dependendo da variedade de opções do destino. Mas em uma segunda ou terceira passada de olho, o conteúdo pode ir sendo lapidado, excluídos dados que não acrescentam e o que era um apanhado bem genérico começa a tomar forma e passa a ser o guia da próxima viagem.

2.3. Cuide do dinheiro

O planejamento financeiro de uma viagem deve começar muito antes da data de ida. Dependendo do destino e da quantidade de dias, pode ser necessário um valor que não é fácil tirar do orçamento do mês.

Aqui vale tudo: cofrinho para resguardar trocados, corte de despesas supérfluas por um tempo, hora-extra no trabalho, um bico nos finais de semana etc.

Não custa nada fazer um sacrifício por um tempinho para garantir dias de glória, de preferência pelo menos uma vez por ano, não é mesmo?

Para saber um valor aproximado das necessidades orçamentárias para concretizar a viagem, é fundamental colocar tudo na ponta do lápis. Para isso, pode-se criar uma planilha contendo todas as despesas envolvidas e um campo para imprevistos, afinal, seguro morreu de velho…

Se a viagem for internacional, vá acompanhando as taxas de câmbio e, ao menor sinal de variação favorável ao comprador, corra e garanta a sua quota.

2.4. Resolva o transporte

Hoje as empresas de transporte de turismo travam um verdadeiro combate de promoções para trazer o cliente para o seu negócio. Tanto empresas aéreas quanto as terrestres oferecem descontos e fazem um festival para divulgar suas marcas e preços.

Aproveitar essa onda é o mais indicado! Foi anunciada liquidação do estilo “corujão”, com preços incríveis de madrugada? Durma mais cedo e coloque o despertador para te tirar da cama na hora do início da promoção.

Além disso, vale a pena entrar diariamente nos sites para procurar passagens. O que hoje pode estar “pela hora da morte”, amanhã pode ter um desconto considerável.

Também vale a pena conferir as condições dos programas de milhagens. Muitas vezes, eles oferecem ótimas oportunidades para emitir trechos que, quando pagos em dinheiro, são muito caros.

2.5. Decida onde ficar

Hospedagem é uma decisão que depende muito do estilo do viajante. Mochileiros não pensam em nada diferente de hostel ou casa de família. Há turistas que abominam a ideia e fazem questão de hotéis e ainda há os que curtem destinos “de charme” e focam em pousadas estilosas.

Essa não é a questão, gosto cada um tem o seu. O foco é economizar, porque opção que agrade a todo tipo de preferência sempre haverá!

Compare preços, recorra novamente à internet e se atente para um detalhe de muito valor: a opinião dos hóspedes que já passaram por aquele estabelecimento.

Sabe aquelas fotos lindas, com pisos e revestimentos intactos, roupas de cama mais brancas que as nuvens e áreas de lazer que parecem nunca terem sido usadas? Pois é, muitas vezes as imagens foram produzidas quando as instalações sequer tinham recebido o primeiro hóspede. Inauguraram o hotel, chamaram fotógrafo profissional e publicaram o ensaio fotográfico no site. Chegando lá, ô decepção! Tudo desgastado, feio e desconfortável. Infelizmente, acontece.

Então, leia os comentários de quem já conferiu de perto a atual situação. Ordene as manifestações por data e foque nas mais recentes. Acredite no que é dito e não no que as fotos mostram. Tome cada colaborador como um amigo, bem aquele da expressão “quem avisa, amigo é”!

2.6. Atente-se à saúde

Vai para algum local de mata ou natureza mais selvagem? Lembre-se de pesquisar sobre necessidade de vacinas. Seja precavido e evite transtornos durante a viagem e riscos à saúde.

2.7. Organize a documentação

Confira validade de documentos e, se possível, tire cópias e as autentique em cartório. Não custa nada ter uma opção caso algo seja perdido.

Se for alugar carro, opte por carregar apenas a carteira de habilitação. Deixe o documento de identidade (RG) em casa, não há necessidade de levar uma carteira com tanto comprovante de identificação.

Quanto aos cartões de crédito, será que você precisa levar todos que tem? Tente andar apenas com o mais usado ou com limite mais adequado para a situação.

No caso de viagens ao exterior, verifique passaporte e necessidade de visto, além da necessidade de cartas de apresentação e comprovante de vacinação. No site da embaixada do país, provavelmente haverá informações oficiais e atualizadas.

Se houver crianças no grupo, cuide de autorizações em órgãos de proteção à infância. Pesquise sobre preenchimento de formulários ou outras exigências. Evite perder a viagem por não ter se organizado com antecedência. Pense na frustração da criançada!

Todas essas etapas evitam problemas, atrasos e perda de dinheiro. Quanto mais necessidades previstas e atendidas com antecedência, mais leve será o processo e será mais fácil economizar na viagem.

Erros no planejamento para não cometer!

Tanto planejamento para cometer deslizes que podem colocar a viagem a perder ou trazer prejuízos ao bolso? Nem pensar! Fique atento aos vacilos que você não pode cometer!

  • Não pesquisar as previsões meteorológicas e o padrão climático do destino na hora de comprar as passagens. Chegar no destino dos sonhos e pegar todos os dias de chuva pode ser a experiência mais sem graça da sua vida!

  • Ativar o roaming do celular mesmo se não pretende utilizar o aparelho. Só de ser acionado o plano, as operadoras cobram pelo serviço!

  • Usar o cartão de crédito indiscriminadamente. Lembre-se: em poucos dias a conta virá e o excesso de hoje pode inviabilizar uma nova viagem amanhã.

  • Não comparar preços e não abusar das ferramentas online para identificar oportunidades de economia e contratar serviços relativos à viagem.

  • Não contratar seguro de viagem. Considerar esse cuidado uma despesa desnecessária é um grande erro. Em caso de necessidade, esteja certo de que sairá muito mais caro pagar assistência e muito mais arriscado não ter com quem contar em situações difíceis.

  • Contar apenas com a assistência viagem do cartão de crédito utilizado na compra da passagem. Na maioria das vezes, as coberturas são bem baixas e há muita burocracia para ressarcimento dos valores gastos. Vale a pena investir em algum seguro de viagem, existem opções bem acessíveis no mercado.

  • Não se atentar para o tamanho da mala. As taxas de excesso de bagagem não são nada baratas. Pesquise o site da companhia aérea e se organize para levar o mínimo possível.

  • Não pesquisar sobre horário de funcionamento das atrações e correr o risco de dar com a cara na porta em locais onde o viajante provavelmente nunca mais terá oportunidade de estar.

  • Não buscar informação sobre comidas tradicionais no destino, mesmo sendo alérgico a vários alimentos. E, ainda por cima, não levar remédios necessários em caso de crise ou intoxicação.

  • Ignorar alertas de pessoas que já visitaram o destino, como locais violentos, risco de afogamento, rigidez do serviço de imigração.

  • Comprar lembrancinhas para toda a família e amigos e, no meio da viagem, perceber que o orçamento não será suficiente para concluir o roteiro elaborado.

  • Não pesquisar necessidades especiais quando crianças participarão da viagem. Chegar em um local cujos passeios são em morros e ladeiras pode causar muito cansaço e irritação nos pequenos. Não custa nada traçar um roteiro que conjugue interesse dos adultos com as limitações das crianças.

  • Não aproveitar os sites e aplicativos de planejamento de viagens para facilitar todas as etapas. A internet é um reduto de recursos que agilizam e dão segurança ao viajante. Desconsiderar essas funcionalidades pode gerar trabalhos desnecessários e tornar a missão de planejar algo pesado, enfadonho e desestimulante.

3. Definindo um roteiro de viagem

Chegar em um destino e conhecer todas as atrações turísticas e outros pontos de interesse é um luxo para poucos. A menos que se tenha muito dinheiro e muito tempo disponíveis, é difícil conseguir conhecer um local em sua totalidade. Ainda assim, para a pequena parcela de sortudos há riscos de frustração porque nem todo lugar agrada ou compensa o investimento com deslocamento e estadia.

O ideal é pesquisar bastante sobre o destino e montar um roteiro personalizado, sob medida para o gosto e orçamento do turista. A seguir, saiba como estruturar um bom roteiro de viagem!

3.1. Estude profundamente o destino

Pesquise na internet e em guias impressos confiáveis as características do lugar, os pontos turísticos, as indicações dos nativos, os riscos envolvidos em caso de cidades com altos índices de violência, clima, costumes, meios de transporte para os deslocamentos, restaurantes e bares, melhor ponto para se hospedar.

Enfim! Analise tudo o que puder sobre o destino. Cumpra bem esse primeiro passo e terá bons elementos para montar um roteiro perfeito!

3.2. Priorize passeios

Depois de mapear todas as opções e ter entendido um pouco sobre cada atração, selecione as que te interessam.

Atente-se para os relatos sobre tempo de permanência ideal em cada um deles e adapte para o seu estilo. Há pessoas que ficam por vários minutos contemplando uma obra em um museu. Outras passam pelos corredores sem sequer parar diante de um quadro ou escultura.

3.3. Veja a logística

Pesquise sobre como chegar em cada uma das atrações. Busque utilizar transporte público, sempre que possível.

Além de economizar, você terá uma chance ímpar de se sentir como um local e conhecer partes da cidade que não seriam vistas se um táxi usasse a menor distância entre dois pontos.

3.4. Monte um calendário

Agora que já sabe por onde quer passar, como chegar e por quanto tempo ficar, monte um calendário. Organize por dias e horários cada destino, lembrando de considerar tempo de coleta de turistas em diversos hotéis, quando optar por uma excursão, e também as paradas para alimentação.

Se forem necessárias baldeações entre tipos de transporte diferentes, como ir de van até um porto e de lá seguir de barco, lembre-se de considerar esse tempo para não prejudicar o aproveitamento do destino final.

Se perceber que a agenda está lotada, pense bem se vale a pena uma passagem rápida por todos os lugares ao invés de uma boa experiência em menos pontos, mas de forma mais produtiva. De repente, vale a pena cortar alguns passeios para potencializar as oportunidades em lugares de maior interesse.

3.5. Cuidado com pacotes

Se você definitivamente odeia montar roteiros e prefere contratar um pacote pronto, fique atento ao excesso de paradas de 10 minutos apenas para fotos. Também analise bem se vale a pena aceitar a determinação de uma empresa ou de um grupo e abrir mão das suas vontades e estilo de viagem.

Se a comodidade compensar o peso do trabalho da pesquisa prévia, então aproveite curta ao máximo e aproveite para fazer amizades e tornar tudo mais agradável!

4. Outras 20 dicas para economizar na viagem

Agora, temos mais alguns toques importantes para você aproveitar ao máximo sua viagem e ainda economizar!

  1. Deixe de preconceito e conheça a realidade local, a cultura dos nativos. Ande pelas ruas dos bairros, das comunidades, experimente o cafezinho da padaria e a guloseima simples, mas tão característica daquele povo.

  2. Se o destino dos sonhos está caro agora e há outras opções muito mais em conta, inverta os planos. Conheça lugares mais econômicos primeiro. Em breve aparecerá oportunidade melhor para você acertar o alvo que sempre mirou.

  3. Se possível, hospede-se fora das grandes cidades. Elas têm custo de vida mais caro e, muitas vezes, poucos minutos separam os arredores do centro famoso e dos pontos turísticos.

  4. Se for do seu estilo, experimente o couchsurfing, uma prática que vem crescendo, na qual pessoas se hospedam gratuitamente na casa de moradores do destino. É uma forma de fazer amigos e vivenciar situações do cotidiano regional. Em geral, os contatos se dão por meio de sites e aplicativos, bem na linha da web 2.0, com foco totalmente colaborativo.

  5. Trabalhe em troca de hospedagem. Sabe diagramar peças gráficas? Ofereça produzir alguns layouts para a pousada publicações em seus perfis nas redes sociais! Envie um e-mail com antecedência e faça sua proposta! Vivemos a era da economia colaborativa e esse tipo de acordo é cada vez mais comum.

  6. Leia tudo o que puder nos sites especializados, blogs e fóruns na internet. Atente-se a todos os detalhes, até naquela dica de locais onde gorjeta é indispensável e qual o valor usual!

  7. Confira a agenda dos locais que vai visitar. De repente um tour que seria meio entediante pode surpreender, com um festival cultural que vai fazer daquele passeio o melhor da viagem!

  8. Converse com os locais, pergunte sobre curiosidades, detalhes e recomendações.

  9. Tenha sempre dinheiro trocado à mão, para uma gorjeta ou pequenas despesas, como água e lanches. Isso agiliza as paradas e evita riscos ao expor grandes valores em carteiras.

  10. Ande de metrô, trem, ônibus. Experimente sair da rota turística e esteja certo de que poderá conhecer o que muito turista nunca sonhou contemplar. E ainda vai economizar uma boa grana com táxi ou excursões!

  11. Alugue uma bicicleta e curta um passeio diferente e saudável em cidades cujos trajetos são seguros.

  12. Tenha sempre baterias extras para câmeras fotográficas. Não há nada mais frustrante do que não ter como registrar um momento especial.

  13. Compre passagens para trechos em horários noturnos. Elas costumam ser mais baratas e, quando o percurso é longo, você pode dormir e economizar uma diária no destino! 😉

  14. Busque viajar na baixa temporada, a diferença de preço é gritante e o destino certamente estará mais vazio, podendo ser até uma experiência praticamente exclusiva.

  15. Ao final de cada dia, cheque o orçamento previsto e veja se está andando na linha. Senão, a cada novo dia deverá haver um esforço adicional para ser mais econômico. Não há nada pior do que ficar sem fundos no meio de uma viagem!

  16. Se estiver em grupo, considere alugar um carro. As diárias, quando rateadas em várias pessoas, ficam acessíveis e vocês terão muito mais liberdade para conhecer os lugares no estilo e tempo de vocês.

  17. Compre lanches em supermercados locais. Contar com paradas em lanchonetes e bares ao longo dos passeios pode encarecer o orçamento. Mas reserve-se o direito de experimentar as principais delícias locais, isso faz parte do jogo!

  18. Pergunte aos locais onde comprar souvenirs baratos e evite os centros de artesanato mais famosos, aqueles que os guias param os ônibus e sugerem uma voltinha de 20 minutos para compras.

  19. Pesquise sobre “passaportes” para entradas múltiplas em pontos turísticos. É muito mais econômico do que pagar entradas avulsas em cada atração.

  20. Contrate seguro de viagem, também em trechos nacionais. Muitos planos de saúde não dão cobertura fora do estado de origem do associado e ficar na mão em momentos de dificuldade pode estragar o passeio e os dias que seriam de tranquilidade.

Vamos encerrar este post com uma dica diferente: valorize seu dinheiro, cada centavo, cada troco recebido. Não é questão de ser “mão de vaca”, é questão de ser grato às oportunidades que você já teve para poder gastar com algo que não tem preço: exercer sua liberdade, conhecer coisas novas, interagir com pessoas diferentes, viajar por aí!

Economizar é importante, mas o fundamental é viajar com segurança e voltar inteiro e apto para a próxima aventura! Aproveite a vida! Enriqueça sua passagem na Terra com experiências transformadoras, que mostrem como é bom fazer parte de um universo tão plural, com tantas belezas naturais e diversidade cultural!

Então busque, sim, viajar barato, cuide do planejamento e garanta a maior economia possível. Mas não abra mão de nada que te faça feliz. O ditado já dizia que “o que é do gosto regala a vida”! Faça valer a pena cada dia viajando, mas também cada dia de trabalho para viabilizar seus sonhos e desejos.

E você, tem experiências de viagens? Já conseguiu transformar um orçamento gordo em um extrato bem enxuto e quer nos contar qual foi a mágica? Compartilhe seus métodos! Ajude-nos a criar uma comunidade de viajantes econômicos, colaborativos e felizes!

 
compartilhar no facebook compartilhar no twitter
Compre aqui seu seguro viagem
Como podemos falar com você?

Segue a gente

mautic is open source marketing automation