Turismo na Suíça: conheça 8 curiosidades - Seguros Promo

Turismo na Suíça: conheça 8 curiosidades

Turismo na Suíça: conheça 8 curiosidades.

Não é novidade que a Suíça é um país charmoso, sofisticado e organizado. É nesse pequeno pedaço da Europa que foram criadas algumas das principais marcas de relógio do mundo, bem como o canivete, com suas diversas funcionalidades — e não podemos nos esquecer, é claro, dos maravilhosos chocolates e queijos, tradicionais dessa região.

Com tantos atrativos assim, viajar a turismo na Suíça é viver uma experiência inesquecível, capaz de encantar a qualquer um! Então, para você conhecer um pouco mais desse país, apresentamos aqui algumas curiosidades interessantes sobre ele. Vamos lá?

1. Há 4 idiomas oficiais no país

Talvez você já tenha se perguntado qual língua é falada na Suíça, e a grande é verdade é que há 4 idiomas oficiais no país. São eles: o alemão (falado por mais de 60% da população), o francês, o italiano e o romanche (um dialeto que lembra o português, mas que é usado por menos de 1% da população).

Além disso, o alemão falado pelos suíços não é exatamente igual aos dos alemães, que, muitas vezes, encontram dificuldades em usar a língua nesse país. Mas fique tranquilo: se você sabe falar inglês já consegue se virar bem por lá.

2. Existem mais de 400 tipos de queijo na Suíça

400 tipos de queijo na Suíça

Os queijos suíços são mundialmente conhecidos por sua qualidade, e entre os mais famosos estão o Gruyéere e o Emmental. Mas você sabia que existem mais de 400 tipos? Pois é! São tantas opções que o que não faltam são pratos e receitas à base de queijo.

Uma delas, facilmente encontrada em restaurantes, é a raclete (do francês racler, “raspar” em português), que consiste, justamente, em raspar o queijo aquecido e colocá-lo sobre batatas. Outra opção clássica é o fondue, grande conhecido, inclusive, aqui no Brasil.

3. A Suíça faz fronteira com 5 países

Apesar de pequena, a Suíça tem uma ótima localização, permitindo acesso fácil a várias outras regiões europeias. Isso porque ela faz fronteira com 5 países: Áustria, Liechtenstein, França, Itália e Alemanha.

Assim, dependendo de onde estiver, você poderá atravessar uma rua ou lago, fazer compras na França, e voltar em pouco tempo, por exemplo.

4. O clima suíço é moderado

O clima suíço é moderado

Com as estações do ano bem definidas, as temperaturas na Suíça não costumam ser nem muito baixas nem muito altas. A primavera é a fase com muitas flores, e também de mais chuva, com temperatura média de 18º C.

No verão, o período mais quente, os termômetros marcam em torno de 21º C e, em alguns poucos dias, pode chegar aos 30º. Já no outono, as paisagens ficam lindas com a mudança da cor das folhas, e o frio dá as caras, podendo fazer até 3º C.

No inverno o frio é mais intenso, mas não espere neve com tanta frequência: a temperatura costuma chegar até -2º C.

5. A moeda local não é o Euro

A Suíça não faz parte da União Europeia, por isso, sua moeda oficial é o Franco Suíço, que tem uma cotação um pouco abaixo do Euro. Mesmo assim, muitos estabelecimentos aceitam o Euro e, para quem faz turismo na Suíça, não há muita dificuldade em trocar moedas nas cidades.

6. A Suíça é a fantástica fábrica de chocolates

A Suíça é a fantástica fábrica de chocolates

Suíça e chocolate são praticamente sinônimos e essa associação faz sentido. Afinal, foi na terra dos alpes que surgiram algumas das marcas de chocolates que o mundo inteiro ama. Nomes como Toblerone, Lindt e Milka, famosos até aqui no Brasil, começaram suas histórias na Suíça.

Mas a grande atração relacionada ao saboroso doce, sem dúvidas, é a visita à fábrica da Cailler, fundada em 1819 e a responsável por criar o chocolate em versão barra.

Atualmente, a Cailler pertence à Nestlé — empresa também de origem suíça — e a sede está localizada na Vila de Broc, a cerca de 180km de Zurique.

Durante o passeio, os visitantes conhecerão a história do chocolate, como é produzido e também como era feito o marketing e divulgação desse doce amado. E como não poderia ser diferente, a melhor parte fica para o final: a degustação à vontade. Na última sala você pode provar quantos chocolates quiser ou aguentar!

Por fim, se quiser levar para casa tem uma lojinha com os produtos da marca. Porém, quem não desejar comprar nada por ali, por todos os supermercados da Suíça há muitas opções de chocolates, geralmente, com preços bastante convidativos.

7. O país tem pouco mais de 100 cidades

Como já dissemos, a Suíça é pequena e, por conta disso, tem pouco mais de 100 cidades — apenas para se ter uma ideia, só o estado de São Paulo tem mais de 600 municípios. E a maior das cidades suíças é Zurique.

O lugar impressiona a todos por sua beleza, limpeza e organização, e oferece uma vida noturna agitada, com cerca de 50 museus. Seu transporte público é eficiente, e extremamente pontual. Sem contar seus belos lagos e, como ocorre por todo o país, os Alpes em seu entorno.

Já a segunda maior cidade é Genebra, sede da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Cruz Vermelha. Essa cidade, sem dúvida, é a mais internacional da Suíça, devido à presença de variadas nacionalidades, e o povo local costuma ser muito receptivo com os estrangeiros.

Além disso, também há muita beleza natural por lá, além da gastronomia de alta qualidade e das boas oportunidades de compra, com destaque para a importante indústria relojoeira.

A partir de Zurique ou Genebra, há várias opções para viagens de um dia, como a charmosa Chamonix (na França), muito procurada por interessados em esquiar, e de onde se avista o famoso Mont Blanc, a mais alta montanha dos Alpes e da Europa.

Outra opção é Vevey, onde está a sede mundial da Nestlé, e onde viveu Charlie Chaplin — a propósito, há até um museu dedicado ao artista. Ainda, para quem gosta de música, ocorre por lá um divertido festival de jazz, durante o verão.

8. A Suíça não tem sistema de saúde pública

A Suíça não tem sistema de saúde pública

Pode até parecer mentira, mas não é: a Suíça não tem um sistema de saúde pública. Isso mesmo. Por lá, todos os cidadãos são obrigados por lei a ter um plano de saúde desde o nascimento.

Além disso, se alguém de qualquer parte do mundo passar a viver no país, precisará providenciar a assinatura de um convênio médico em até três meses. Isso porque toda a rede assistencial é oferecida de forma privada.

A propósito, se você vai a turismo na Suíça, saiba que precisará contratar um seguro saúde por dois motivos: por não haver nenhum tipo de atendimento gratuito — nem no caso de emergências — e também porque o país é signatário do Acordo de Schengen, que determina uma série de exigências dos turistas. A principal delas é a obrigatoriedade do seguro viagem, no valor mínimo de 30.000 euros para conseguir permissão de entrada na imigração.

E, então? Partiu Suíça? Se deliciar com chocolates, curtir um friozinho, experimentar bons vinhos e apreciar belos queijos. Parece ser incrível, não é? E você ainda pode conhecer vários outros países com fácil acesso. Tá esperando o que? Faça sua cotação de seguro viagem e marque sua aventura!

compartilhar no facebook compartilhar no twitter
Compre aqui seu seguro viagem
Como podemos falar com você?

Segue a gente