Viagens internacionais baratas: para onde ir? Descubra aqui!

Viagens internacionais baratas: para onde ir? Descubra aqui!.

Fazer uma viagem internacional é o sonho de muita gente. Quem nunca desejou conhecer terras distantes com cultura e costumes diferentes dos nossos, não é mesmo?

Visitar um novo país, que pode ser vizinho do Brasil ou do outro lado do mundo, sempre trará uma experiência renovadora, com novos olhares e muita história para contar.

Mas muitas pessoas acabam postergando essa realização por acreditar que é muito caro ou mesmo inacessível. A boa notícia é que essa não é a realidade. Nos últimos anos, as viagens internacionais foram facilitadas devido ao crescimento das rotas aéreas entre países e incentivos ao setor do turismo.

Além disso, com o câmbio em queda, houve os gastos dos brasileiros no exterior subiram e aumentou o interesse por viagens para fora do país. Diante das condições favoráveis, esse sonho pode ser realizado — basta se planejar e seguir as melhores recomendações.

Sendo assim, preparamos um guia especial para você que quer fazer viagens internacionais baratas. Confira a seguir todas as dicas e destinos recomendados para economizar sem deixar de aproveitar. Depois, é só escolher a data para partir e preparar as malas!

1. Por que viajar para o exterior?

Algumas pessoas têm na ponta da língua a lista de destinos internacionais que pretendem conhecer. Por outro lado, há quem ainda não esteja muito certo sobre viajar para o exterior.

Bom, motivos não faltam para visitar países estrangeiros. O primeiro e talvez o mais objetivo é a oportunidade de conhecer novas culturas, pessoas e seus diferentes costumes.

Cada país tem sua própria dinâmica e muitos hábitos diferentes aqui no Brasil. Isso possibilita vivenciar experiências totalmente novas e ganhar olhares mais críticos, enxergando o que tem de bom em território estrangeiro e que podemos trazer para o nosso cotidiano.

E, também, entender como em nosso país também existem coisas boas e que podemos compartilhar com outros povos nossos hábitos e conhecimentos. Ou seja, essa é uma chance de fazer uma troca bastante positiva.

Fora isso, visitar países com centenas de anos e seus monumentos históricos, trará mais bagagem cultural para os viajantes e muito o que contar para os amigos e familiares no retorno. Afinal, em países europeus, por exemplo, o que não faltam são construções com até mil anos de história no meio da cidade!

Sem contar a possibilidade de provar comidas e sabores diferenciados e até mesmo exóticos para quem tem o estômago preparado. E claro, fazer novas amizades que podem atravessar as fronteiras.

2. Como economizar em viagens ao exterior?

economizar em viagens ao exterior

Economizar em viagens é sempre uma vantagem, afinal sobra mais dinheiro até mesmo para começar a planejar as próximas. Apesar de muitas vezes o câmbio não ajudar muito, devido a diferença de cotação, principalmente, entre o Real, o Euro e o Dólar, há algumas formas para gastar menos e continuar aproveitando bem.

Veja algumas dicas e recomendações que ajudarão — e muito — nesse processo!

Viaje fora das épocas mais movimentadas no ano

Em qualquer lugar do mundo, os períodos de férias e festas sempre são os mais disputados pelos turistas. E se há muita demanda, consequentemente, os preços sobem também. Por isso, se puder evite os meses de julho, dezembro e janeiro, que além de ser época de recesso, coincidem com natal e ano novo.

Em alguns casos, a diferença de preços para esses períodos pode ser até o dobro, quando comparados aos demais meses. Lembrando, que os valores elevados não são apenas para hotéis e passagens, mas também para refeições, passeios e compras, ou seja, o custo total da viagem sairá mais alto.

Além da economia financeira, viajar fora das épocas mais movimentadas, permitirá melhor aproveitamento de atrações como museus, parques e lojas, que não estarão muito disputadas. Dessa forma, o tempo da viagem renderá muito mais.

Escolha hospedagens mais baratas

hospedagens mais baratas

As cidades que recebem muitos turistas costumam ter uma imensa variedade de opções de hospedagens. Isso é ótimo para conseguir boa economia. Primeiro, tenha em mente que hotéis próximos aos principais pontos turísticos locais serão os mais caros, devido à facilidade de acesso e por ser uma área mais valorizada.

Por isso, para quem deseja economizar o ideal é escolher uma alternativa um pouco mais distante do centro — porém não muito, senão acarretará em mais gastos com transporte.

Fora isso, considere se hospedar em hostels — essa é uma forma de conseguir boa hospedagem com preços amigáveis. Se estiver entre amigos, optar por um dormitório compartilhado, no qual o hóspede paga apenas pela cama que vai utilizar é a opção mais barata.

Para casais há possibilidade de ficar em um quarto privativo, que mesmo desse modo sairá mais em conta do que um hotel. Tenha em mente que provavelmente você passará o dia passeando, então não é imprescindível investir em hospedagens caras.

Fique de olho nos preços das refeições

Embora uma das grandes vantagens de visitar países estrangeiros seja conhecer uma culinária diferente, como novos gostos e aromas, é preciso ter atenção para não gastar todo o seu dinheiro em comida.

Uma dica é escolher uma refeição do dia — por exemplo, o jantar — para se “dar o luxo” de comer algo mais elaborado, em um restaurante mais sofisticado. Se a grana for mais curta, selecione pelo menos um dia da viagem para aproveitar o melhor da culinária local.

Para o dia a dia, a dica é buscar opções em supermercados, que geralmente oferecem refeições prontas ou semiprontas e que saem muito mais baratas. Além disso, compre lanchinhos, como biscoitos, sanduíches, snacks, frutas e água e leve na sua bolsa.

Assim, quando bater uma fominha não haverá a necessidade de gastar em lanchonetes ou restaurantes.

Por fim, não tenha vergonha de sentar em um parque ou praça e comer seu lanche — você perceberá que esse hábito em alguns países estrangeiros é muito comum. As pessoas já estão habituadas às refeições rápidas em qualquer lugar. Viva como o povo local, sem receios!

Pesquise as atrações gratuitas locais

atrações gratuitas locais

Todos os destinos têm atrações permanentemente gratuitas ou em determinados dias e horários. Essa é uma grande oportunidade de fazer boa economia e mesmo assim visitar locais incríveis.

Antes de partir, pesquise o que as cidades visitadas têm a oferecer sem custo e inclua no seu roteiro de viagem. Não pense que só porque é de graça, não é bom. Pelo contrário: pelo mundo todo há museus e parques totalmente gratuitos que oferecem experiências marcantes aos visitantes.

E também não perca a oportunidade de caminhar despretensiosamente pelas ruas, para observar a arquitetura e movimento das pessoas — além de não gastar nada para isso, você poderá se surpreender com as descobertas.

Tenha cuidado com as compras

Durante as viagens é sempre legal fazer umas comprinhas e levar novos itens e lembranças para casa, não é mesmo? Porém, é preciso tomar cuidado para não se render aos encantos das lojas e se controlar para não gastar todo o dinheiro que levou em apenas uma loja.

Para isso, pergunte-se sempre: “preciso disso?”. Afinal, há muitos itens que são bonitos, interessantes, mas não haverá nem mesmo lugar em casa para guardar.

Outra dica é evitar comprar logo no primeiro dia de passeio — como tudo ainda será novidade, poderá acarretar extravagâncias. O fundamental é controlar os seus impulsos, até porque ainda haverá muito o que ver e conhecer, e talvez aqueles primeiros produtos nem sejam tão interessantes quanto aparentam.

Mais uma sugestão é evitar o uso de cartão de crédito, já que a conversão da moeda estrangeira ocorrerá no momento de fechamento da fatura do cartão, ou seja, se no dia da compra o câmbio estava favorável, pode ser que no momento do pagamento já não esteja mais. Sem contar que também há o IOF (Imposto sobre operações financeiras) de 6,38% sobre o valor da compra.

Prefira destinos internacionais mais em conta

Esse é um ponto que ajudará a economizar muito na viagem. Tem muitos turistas que só conseguem pensar em conhecer destinos clássicos, como Londres, Paris e Nova Iorque, que são locais incríveis, porém com custos bastante elevados.

A dica é se abrir para outras opções de viagens, que podem ser fantásticas e com preços mais convidativos. Essa será uma chance de visitar pontos turísticos sem multidões, pois ainda não foram totalmente explorados comercialmente.

Às vezes, pertinho de locais badalados há alternativas baratas, que podem reservar grandes surpresas com gostinho de exclusividade e de ter conhecido antes de todo mundo. Uma delícia, não é?

3. Para onde fazer viagens internacionais baratas?

Já falamos até aqui sobre os bons motivos para fazer uma viagem para o exterior e também algumas dicas para economizar. Mas você já deve estar perguntando: quais são os destinos para fazer viagens internacionais baratas?

É exatamente sobre eles que vamos abordar agora — confira nossas dicas em diferentes continentes. Com certeza, um deles ainda estará no seu roteiro!

3.1. América do Sul

América do Sul

Os países da América do Sul estão pertinho do Brasil e oferecem opções acessíveis para os viajantes. Sem contar a facilidade de viajar apenas com o RG para diversos destinos.

Los Roques – Venezuela

Uma opção para curtir o Caribe sem gastar muito. Los Roques é uma das principais atrações da Venezuela. É o maior parque marinho da América Latina e tem todos os ingredientes que compõem um paraíso.

Águas cristalinas em tons turquesa — típicas das regiões caribenhas — areia branquinha e fina e algumas praias quase desertas compõe o arquipélago, que conta com mais de 50 ilhas e muito sol praticamente o ano todo.

O mergulho é uma das principais atrações — com excelente visibilidade, é uma oportunidade para ver de perto toda a beleza da rica vida marinha local. Também há opções para veleiro, bote, caiaque e para praticar windsurf e pesca.

A ilha de Gran Roque é a maior e onde estão situadas as pousadas, o comércio e também o aeroporto. É nela também que ocorrem as duas grandes festas anuais: a Virgem do Vale, em setembro, e o Festival da Lagosta, em novembro.

Parque Tayrona – Colômbia

Esse é um destino para os amantes da natureza e para quem curte um pouco de aventura. No Parque Nacional Natural Tayrona, há mata nativa preservada e muitas espécies de animais, alguns até mesmo com risco de extinção.

Para completar o cenário, há a maior cadeia de montanhas costeira de todo o mundo: a Serra Nevada de Santa Marta, que atinge até 5775 metros de altitude.

Como se não bastasse tanta beleza natural, o local ainda conta com praias de águas tranquilas e azuis, que estão entre as mais bonitas do caribe colombiano. Entre as mais famosas estão La Piscina, Cabo de San Juan e praia para nudistas — Playa Brava.

As trilhas pelo parque estão entre as principais atrações. É possível percorrê-las a pé — porém é necessário preparo, pois há muitas subidas — ou a cavalo, alugados na entrada do parque.

Durante o percurso há belas paisagens, por dentro da mata e montanhas, revelando um verdadeiro espetáculo aos visitantes.

3.2. Europa

Europa

A Europa é o destino dos sonhos de muita gente. O velho continente tem muita cultura e história a oferecer, por isso é muito buscado pelos turistas. Apesar de ter países conhecidos por serem caros, como Inglaterra, França e Itália, existem opções em conta sim, que não deixam nada a desejar para as cidades com turismo já consagrado.

Budapeste – Hungria

Uma das capitais mais bonitas e baratas da Europa é Budapeste. No mesmo passeio é possível conhecer duas cidades — Buda e Peste — que são separadas pelo Rio Danúbio.

Do lado Buda, se encontram castelos e a imponente igreja de São Matias. Por essa região também existem muitas ruínas romanas e diversas construções medievais. E o Rio Danúbio, claro, que apresenta-se sempre lindo e majestoso.

Já o lado Peste, há os maravilhosos edifícios da Avenida Andrássy — uma espécie de Champs-Elyseés (famosa avenida de Paris) húngara — e o Parlamento com sua fachada em estilo gótico.

Ainda desse lado da cidade, há os melhores museus, galerias de arte e óperas, além dos belos e modernos shoppings que estão instalados em grandes palácios de mais de 200 anos!

Os cafés merecem uma visita, para provar os deliciosos bolos e tortas da cidade. Conhecer Budapeste traz ainda a chance de vivenciar uma experiência incrível e sofisticada em uma das muitas casas de espetáculo — há concertos com obras de Mozart e Beethoven, entre outros gênios da música clássica.

Moscou – Rússia

A capital da Rússia é uma cidade vibrante, com grande riqueza e importância cultural e histórica. A arquitetura impressiona até mesmo que os olhares mais desatentos. Esse é um dos pontos altos da cidade, evidenciados na imponência do Kremlin — que é a sede do governo —, na Catedral de São Basílio — com suas cúpulas coloridas —, e também no famosíssimo Teatro Bolshoi.

A Praça Vermelha também é uma atração imperdível, pois ela foi palco de momentos importantes da história, como a reunião de Napoleão com sua tropa em 1812. Nela também que está localizado o Mausoléu de Lênin, líder soviético comunista.

Além desses monumentos históricos e clássicos, há diversos prédios modernos e lojas elegantes, que criam um belo contraste na paisagem local.

Como a Rússia não aderiu ao Euro, a moeda local é o Rublo — com a cotação em baixa, favorece uma viagem mais econômica quando comparada a outras cidades europeias.

3.3. África

África

A África é um continente instigante, com suas savanas, belezas naturais, povo alegre e que está sempre disposto a receber com atenção os forasteiros. Há muito que conhecer e fazer por essas terras.

Cidade do Cabo – África do Sul

A cidade é muito buscada por quem deseja fazer intercâmbio, por ser mais barata que os Estados Unidos e Canadá, por exemplo. Para os turistas, os preços também são bastante convidativos, tanto para comer, como se hospedar e aproveitar as atrações locais.

E olha que não faltam atividades por lá! Entre os destaques podemos citar a Table Montain, uma montanha localizada no coração do parque nacional, que a propósito é o habitat de mais de 2 mil espécies de animais, como zebras, babuínos e antílopes. É do alto dela que se tem a melhor vista da cidade, com suas belas praias e o estádio de futebol.

Robben Island é a prisão onde Nelson Mandela (que foi presidente do país de 1994 a 1999), ficou preso por 10 anos. O local, atualmente, é um museu que guarda peças dos antigos presos.

A praia mais famosa é a Clifton, que costuma ter fortes ventos, sendo perfeita para os praticantes de windsurf e kitesurf.

Marrakesh – Marrocos

Esse é um destino para quem tem interesse em conhecer de perto os costumes e cultura muçulmanos. Uma cidade que pode parecer exótica aos olhos dos ocidentais, contudo tem um povo acolhedor e muito receptivo aos visitantes.

Marrakesh tem um trânsito agitado de motos, carroças e carros bastante velhos, exigindo muita atenção dos turistas até mesmo nas calçadas, mas também tem parques e praças tranquilos, perfeitos para descansar e relaxar.

Entre as paradas obrigatórias dos visitantes estão as casas de banho turco. São muitas delas espalhadas por toda a cidade — encontre uma com a qual você se simpatize e viva essa experiência.

O Mercado de Marrakesh é imenso e vende de tudo um pouco. Essa é uma boa alternativa para levar uma lembrancinha diferenciada para casa.

Uma recomendação: quem não é muçulmano não pode entrar na Mesquita Minarete de Koutoubia, todavia os jardins externos são lindos e podem ser visitados com tranquilidade.

3.4 Oceania

Oceania

Para quem está no Brasil, a Oceania está literalmente do outro lado do mundo! Terras distantes, mas não por isso menos interessantes ou exageradamente caras. Como os voos são longos, o que mais vai pesar é o valor das passagens — tirando isso, os destinos tem preços bastante convidativos.

Sidney – Austrália

Com o dólar australiano cerca de R$1,00 mais barato que o americano, é possível fazer boas economias em Sidney. Quem visita a cidade tem a impressão de estar em uma das cidades badaladas do mundo, como Nova Iorque e Hong Kong.

Há muitos turistas de toda parte do mundo, criando uma verdadeira mistura de sotaques, culturas e rostos, algo facilmente percebido em uma simples caminhada pela agitada George Street, que está entre as principais ruas do centro financeiro da cidade.

Sidney tem alguns cartões postais mundialmente conhecidos e que devem fazer parte do roteiro de qualquer turista, como a Ópera House e sua arquitetura cheia de pontas, e a ponte Harbour Bridge, que é o ponto ideal para observar os fogos do réveillon.

As praias do Pacífico são lindas e muito procuradas por quem pratica esportes no mar. Outro ponto que merece destaque é a Sidney Tower Eye, que oferece visão 360º de toda a cidade.

Por fim, há também o Hyde Park, que tem o mesmo nome do famoso parque Londrino e é ótimo para descansar e caminhar. É nele também que está localizado o monumento em homenagem aos combatentes australianos que lutaram na Primeira Guerra Mundial, o Anzac Memorial on Lake of Relections.

Auckland – Nova Zelândia

Conhecida como cidade das velas, Auckland reúne praticantes de vários cantos do mundo em busca do vento perfeito para a prática do esporte. Outro esporte nacional muito tradicional é o rugby. Além dos esportes, a cidade tem muita natureza, prédios modernos e aventura para oferecer aos visitantes.

Um dos grandes destaques é a Sky Tower, a torre com 328 metros de altura e que oferece uma visão ampla de toda a cidade. É nela que também está o maior bungee jump do país, com 192 metros de pura adrenalina. Tem coragem?

Nas ruas Queen Street e Qualy Street estão localizadas diversas opções de restaurantes, com todo tipo de gastronomia, que agrada aos mais variados paladares. Para quem deseja conhecer galerias de arte e lojas descoladas, a dica é visitar o bairro de Waiatakere.

Os amantes da natureza encontram muitas opções em Auckland, como mais de 50 vulcões inativos espalhados por diversas regiões. Há muitas ilhas e praias selvagens. O Auckland Domain é maior parque da cidade e também merece uma visita.

Viu só? Há muitos lugares no mundo para visitar sem comprometer muito o bolso. Essa é uma pequena amostra das possibilidades de viagens internacionais baratas, o fundamental é sempre estar aberto a conhecer destinos que talvez não estejam consagrados no turismo mundial, mas que valem muito a visita.

Para finalizar, recomendamos que as viagens internacionais sejam sempre feitas com um bom seguro, inclusive, porque é obrigatório para entrada em diversos países. Por isso, confira nosso post especial sobre como contratar um seguro viagem e embarque tranquilo no seu sonho.

compartilhar no facebook compartilhar no twitter
Compre aqui seu seguro viagem
Como podemos falar com você?

Segue a gente

mautic is open source marketing automation