Como me adaptar em programas de intercâmbio? - Seguros Promo

Como me adaptar em programas de intercâmbio?

Como me adaptar em programas de intercâmbio?.

 

A grande variedade de programas de intercâmbio que existe atualmente tem feito com que, cada vez mais, pessoas de todas as idades queiram realizar esse sonho. E não é à toa, já que vivenciar uma outra cultura ajuda a desenvolver o autoconhecimento, aprimorar as habilidades interpessoais e ainda dá um up no currículo.

No entanto, a decisão de morar fora do Brasil deve vir acompanhada de alguns cuidados para que a adaptação no país de destino ocorra sem problemas. No post de hoje, reunimos 5 dicas que vão te ajudar nesse sentido. Confira!

1. Abra a cabeça em programas de intercâmbio

Abra a cabeça para programas de intercâmbio

Lembre-se de que um dos principais benefícios que os programas de intercâmbio proporcionam estão relacionados ao desenvolvimento pessoal. Sendo assim, vá preparada para enfrentar diversos desafios, como aprender a se comunicar em um novo idioma, se adaptar a novas regras sociais e fazer amigos estrangeiros.

Além disso, deixe seus preconceitos sobre o novo país no Brasil. É comum, por exemplo, ouvirmos que as pessoas dos países da Europa são mais frias e diretas, até mesmo “grosseiras”. Pode até ser que seja verdade, mas deixe para descobrir — e lidar com isso — apenas quando chegar lá, combinado?

Outra dica interessante é mergulhar de cabeça na cultura do seu novo lar, de mente aberta, e experimentar os pratos típicos, vivenciar as paixões nacionais, comemorar as datas festivas e acompanhar as principais notícias. Ao viver como um nativo, será mais fácil se adaptar ao novo contexto.

2. Evite comparações

 Evite comparações - programas de intercâmbio

Da mesma forma, evite comparar a vida que você tinha aqui no Brasil com a que terá no seu destino. Pode ser que, aqui, você tenha facilidades que não terá lá, como um carro, empregada doméstica ou a comida da sua mãe sempre esperando por você.

Mas, no final das contas, é para isso que servem os programas de intercâmbio: incentivar a independência, o autoconhecimento e o desenvolvimento de novas habilidades. Por isso, encare as dificuldades como desafios que vão torná-la mais forte e esqueça a vida que levava no Brasil!

3. Seja sociável

Seja sociável

Um grande passo para se adaptar rapidamente à vida em um novo país é fazer amigos. Afinal, tudo fica mais fácil quando se tem alguém por perto, para rir e chorar junto, não é mesmo?

A boa notícia é que muitas das pessoas que você vai conhecer durante o intercâmbio estão na mesma situação que você: longe da família e dos velhos amigos. No entanto, isso não precisa ser algo ruim, já que te obriga a conhecer outras pessoas — às quais você talvez nem desse uma chance no Brasil!

Aproveita a experiência de ter um amigo estrangeiro para treinar um novo idioma, aprender sobre uma cultura diferente e, quem sabe, receber convites para visitá-los no país de onde eles vêm!

4. Busque afinidades

Busque afinidades

Mesmo que seja importante celebrar as diferenças durante essa experiência, não é preciso se jogar de cabeça em uma cultura que não tenha nada a ver com você.

Por meio de uma boa pesquisa na fase de escolha do país para fazer intercâmbio, é possível descobrir com quais costumes você tem mais afinidade, pois isso pode facilitar a adaptação.

Além disso, procure elementos com os quais você tenha conexão. Se você gosta de literatura inglesa, por exemplo, é provável que goste de explorar a Inglaterra.

Além disso, as coisas que você aprendeu nos livros podem ser úteis na hora de se integrar à sociedade desse país.

5. Mantenha contato com o Brasil

Mantenha contato com o Brasil

Com moderação, manter contato com o Brasil pode ajudá-la a se lembrar de todas as pessoas que ficaram aqui e estão torcendo pelo seu sucesso, onde quer que você esteja.

Conversar com seus amigos e família pode ajudá-la a ter força e se lembrar dos seus objetivos enquanto estiver em terras estrangeiras.

Só não vale deixar de aproveitar a experiência por causa disso, combinado? É recomendável esperar que o choque cultural — comum em todo começo de intercâmbio — passe para não cair no choro assim que ouvir “alô” do outro lado da linha.

Gostou das nossas dicas sobre como se adaptar em programas de intercâmbio? Já passou por essa experiência e tem alguma sugestão para os nossos leitores? Deixe um comentário contando!

compartilhar no facebook compartilhar no twitter
Compre aqui seu seguro viagem
Como podemos falar com você?

Segue a gente