Existe idade certa para fazer intercâmbio? - Seguros Promo Viagem

Existe idade certa para fazer intercâmbio?

Existe idade certa para fazer intercâmbio?.

Existe idade certa para viajar, se divertir, aprender um novo idioma e conhecer uma nova cultura? Não, né? Então por que haveria uma idade certa para fazer intercâmbio?

Pode ser verdade que grande parte dos intercâmbios no mercado seja voltada para o público jovem, que procura essa experiência para melhorar o currículo no momento em que está entrando no mercado de trabalho. No entanto, também existem alternativas para as crianças e até mesmo para a terceira idade!

Ficou curioso? Acha que já passou da idade de fazer as malas e cair no mundo? Então continue a leitura e descubra qual a melhor modalidade de intercâmbio para você!

Como funciona o intercâmbio infantil?

Como funciona o intercâmbio infantil?

Os pequenos viajantes têm começado a ganhar o mundo cada vez mais cedo. A partir dos 8 anos de idade, é possível embarcar nessa modalidade de intercâmbio que já está virando tendência.

Mesmo apreensivos, os pais entendem que essa experiência desempenha um papel importante na formação desses pequenos. Além disso, as agências de viagem ou escolas de idioma que oferecem esse serviço costumam ficar disponíveis o tempo todo para tirar dúvidas e oferecer apoio no que for preciso.

De acordo com especialistas, a alta procura pelo intercâmbio infantil se deve ao fato de as crianças, por meio da internet, terem acesso à informação cada vez mais cedo. Além disso, com a presença da criançada já nessa idade nas escolas particulares de idiomas, é fácil montar turminhas dispostas a se aventurar em terras estrangeiras.

O mais comum é que os pequenos passem de 2 a 3 semanas praticando o inglês e fazendo atividades culturais fora. Entre os benefícios da experiência, pode-se mencionar o fato de contribuir para a formação de um jovem mais independente e proativo, empático e com uma base maior para aprender novas línguas no futuro.

Vale lembrar que as crianças são acompanhadas o tempo todo, em grupos menores com colegas conhecidos, por pessoas com as quais já têm contato há muito tempo e se sentem seguras — deixando os pais, que ficam no Brasil, muito mais tranquilos.

Por que os jovens querem tanto fazer intercâmbio?

Por que os jovens querem tanto fazer intercâmbio?

Para aqueles que não tiveram uma experiência internacional ainda na infância, o maior desejo é fazer um intercâmbio durante o ensino médio ou na faculdade. Nessa fase de descobertas, não há nada mais natural do que desejar conquistar o mundo todo.

Sabemos ainda que, muito além do desejo de explorar, os jovens também querem fazer intercâmbio para melhorar o currículo. Nos tempos em que vivemos, de crise econômica e competitividade cruel no mercado de trabalho, ter uma experiência internacional pode fazer diferença na hora de conquistar o tão sonhado primeiro emprego.

Passar um tempo fora, estudando ou trabalhando, não é só vantajoso pelo conhecimento adquirido, mas pelo conjunto da experiência. Os recrutadores sabem, por exemplo, que um candidato com um intercâmbio no currículo é mais propenso a tomar decisões independentes, aprender mais rápido e a se adaptar aos mais diversos ambientes.

Além disso, a grande procura faz com que diversas modalidades de intercâmbio sejam oferecidas pelas principais agências do ramo. Existem os intercâmbios de longa duração, como o High School, nos quais os jovens podem chegar a passar 1 ano em outro país, vivendo a experiência do ensino médio.

Existem também os intercâmbios de férias, com duração menor (de 1 a 3 meses), voltados exclusivamente para o estudo de um novo idioma e atividades culturais. Mesmo quem já saiu do ensino médio e entrou na faculdade pode fazer intercâmbio, por meio das parcerias institucionais entre universidades brasileiras e estrangeiras.

Por fim, é possível até mesmo trabalhar na modalidade Work and Travel, que acaba saindo mais em conta para quem quer explorar o mundo com um orçamento menor. Além de dar um up no currículo, essa experiência certamente ajudará a desenvolver a habilidade de interagir profissionalmente com os mais diversos perfis de pessoas e ambientes.

É possível ser um intercambista na terceira idade?

É possível ser um intercambista na terceira idade?

Esse é outro segmento que vem ganhando força no mercado. Já existem pacotes de intercâmbio voltados exclusivamente para quem já passou dos 50 anos e não quer mais saber de ficar em casa.

Os benefícios de se fazer intercâmbio na terceira idade são muitos. Para começar, se tem mais tempo livre, o que possibilita a viagem em qualquer época do ano. Além disso, o orçamento geralmente não é um problema e as opções disponíveis vão muito além de apenas aprender um novo idioma ou fazer atividades turísticas.

Com programas que incluem cursos de história da arte, gastronomia, aulas de dança e várias outras áreas do conhecimento, os destinos mais procurados estão na Europa. Países como a Itália, por exemplo, oferecem atividades que misturam culinária e visitas a museus, parques arqueológicos e monumentos — ideal para quem quer voltar para casa com uma grande bagagem cultural e um novo hobby.

Por fim, a disponibilidade de tempo garante a possibilidade de viajar fora da alta temporada, o que resulta em preços mais amigáveis e maior tranquilidade durante os passeios. Depois de tantos anos trabalhando e pensando no futuro dos filhos, investir nesse tempinho para si mesmo pode ser muito revigorante!

Como ter segurança durante o intercâmbio?

Como ter segurança durante o intercâmbio?

Sabemos que as diferentes modalidades de intercâmbio podem causar certa apreensão, principalmente para as crianças e para a terceira idade. Apesar de as agências de viagem especializadas nessas atividades oferecerem um bom apoio, é possível se precaver também por meio da contratação de seguros de viagem.

Eles devem ser adquiridos ainda no Brasil, antes da viagem, e protegem contra vários tipos de imprevistos: perda ou dano de bagagens, roubo de documentos, assistência médica que cobre desde pequenos curativos até emergências mais sérias, internação e a vinda de um parente para acompanhamento.

Além disso, caso precise alterar sua viagem de volta por causa de um acidente, algumas modalidades de seguro garantem uma nova passagem de volta sem custos adicionais.

Outro benefício que vai deixar os pais das crianças mais tranquilos é a assistência jurídica oferecida pelo seguro de viagem internacional. Já pensou no seu filho, sozinho, tendo problemas com imigração, por exemplo? Contar com assistência jurídica pode aliviar essa preocupação.

Vale lembrar, por fim, que um bom seguro é uma das exigências básicas para tirar o visto para os Estados Unidos ou entrar como turista na Europa, por exemplo. Sendo assim, não deixe de pesquisar as melhores opções do mercado para garantir uma viagem mais tranquila desde o início.

E então, ficou animado para fazer intercâmbio? Compartilhe o post nas redes sociais! Desse modo, seus amigos de todas as idades conhecerão as vantagens de uma experiência internacional e finalmente perderão o medo de cair na estrada.

compartilhar no facebook compartilhar no twitter
Compre aqui seu seguro viagem
Como podemos falar com você?

Segue a gente