Como contratar um seguro de viagem sem erros - Seguros Promo

Como contratar um seguro de viagem sem erros

Como contratar um seguro de viagem sem erros.

Sombra e água fresca é tudo o que queremos quando chegam as tão sonhadas férias, não é mesmo? E para isso acontecer, só precisamos comprar uma passagem, reservar um hotel, arrumar as malas e botar o pé na estrada, certo? Não exatamente! Falta algo muito importante, que irá garantir a tranquilidade desejada nos momentos de descanso: falta contratar um seguro de viagem!

Mas vale a pena gastar com esse tipo de serviço? Veja bem: um dos itens que preparamos antes de uma viagem é o orçamento. Costumamos ter na ponta do lápis os gastos para bancar cada dia e às vezes até um extra para emergências.

Porém, caso algum imprevisto ocorra, esse orçamento pode ser extrapolado em uma medida não comportada pelo nosso bolso e o que seria um momento relax pode se transformar em um verdadeiro pesadelo, para o viajante e para sua família.

Neste post, vamos abordar a importância da contratação de assistência em viagem e daremos dicas para a escolha da cobertura mais apropriada e alguns cuidados na hora de aderir a uma proposta de um serviço de seguro de viagem.

Qual a cobertura de seguro você precisa?

Como todo tipo de serviço, existe uma cobertura de seguro sob medida para cada cliente e para cada situação. Influenciam nessa decisão a região geográfica onde o destino está localizado, a idade dos viajantes e o padrão de custeio de despesas cotidianas onde um incidente poderá acontecer. Vamos explicar aqui cada um dos fatores relevantes nessa escolha.

Coberturas principais e acessórias

O mais comum é que as coberturas contemplem assistência médica e morte acidental, além de extravio de bagagem.

Porém, algumas apólices mais completas podem oferecer outras coberturas acessórias que podem ser bastante vantajosas, como extensão de internação hospitalar, repatriação, assistência odontológica e até hospedagem e passagem de ida e volta para um familiar que venha auxiliar o viajante em caso de necessidade.

Custo de vida no destino

Custo de vida? Sim! O custo de vida de determinado país ou cidade influencia diretamente nos valores cobrados em serviços de saúde, por exemplo. Por isso é importante realizar uma pesquisa sobre os preços de atendimentos e procedimentos em hospitais para diversas necessidades, como suturas, engessamento de membros e até casos mais graves, como internações e cirurgias.

Esse levantamento do custo médio de despesas, especialmente as voltadas para a área da saúde, dará uma boa medida para o melhor enquadramento de cobertura para a próxima viagem.

Doença preexistente

É importante verificar na minuta do contrato se doenças já identificadas antes da viagem estarão cobertas.

O caso mais comum é o de doenças crônicas, que podem desencadear crises imprevistas e exigir acompanhamento médico.

Diferença entre assistência viagem e seguro de viagem

Na prática, a diferença entre seguro e assistência viagem é bastante sutil, mas vale a pena conhecer esses conceitos que se caracterizam principalmente me função da cobertura para procedimentos médicos.

Assim, os planos com assistência médica oferecem atendimento dentro de uma rede credenciada e o segurado não paga nada na hora dos procedimentos. Já no seguro, o cliente pode escolher o local de atendimento (clínica ou hospital) e paga pelo tratamento. Apenas posteriormente o reembolso das despesas comprovadas será realizado.

O mercado oferece tanto essas modalidades separadas quanto pacotes que englobam as duas opções e o mais importante é conhecer as características do local de destino. De que adiantaria contratar uma assistência para eventual atendimento em rede credenciada se o país a ser visitado fica em uma área remota pouquíssimo estruturada em termos de serviços de saúde? Nesse caso, o seguro é a melhor opção.

Obrigatoriedade do seguro

Alguns destinos exigem que os turistas contratem um seguro para a viagem. Um bom exemplo são os países europeus, pertencentes ao Tratado de Schengen, que define que o viajante tenha um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros para garantir o socorro médico para o caso de emergências ou urgências. E isso costuma ser verificado já na entrada, no departamento de imigração.

Há ainda algumas políticas diferenciadas em determinados países, como a oferta de seguro próprio no aeroporto de entrada ou ainda coberturas específicas para estudantes intercambistas.

Embora seja mais raro, algumas modalidades de exigem o pagamento de franquia para vez que o seguro for acionado. Nesses casos, não compensa comunicar o sinistro se a necessidade for de pequenos gastos for de remédios ou consultas médicas rápidas.

Como as regras são muito específicas, é indicado que se pesquise sobre cada situação para não ser pego de surpresa e correr o risco de não conseguir entrar no país ou não conseguir atendimento na hora que mais precisar.

Honestidade na contratação

Não adianta pensar que há uma forma de sair levando a melhor, seja em qual sentido for, quando o assunto é a segurança de uma viagem. É fundamental que todos os dados sejam informados ao corretor de seguros ou durante o preenchimento dos formulários online de cotação, porque a veracidade dessas informações garantirá a oferta de uma cobertura adequada à necessidade e o pleno atendimento em caso de acionamento.

Assim, se o turista pretende realizar esportes radicais ou frequentar áreas de risco é bom informar porque pode ser oferecida uma cobertura adicional específica para essas situações. Além disso, se houver deslocamento entre países é fundamental que isso seja informado porque se o sinistro ocorrer fora da área registrada na apólice, o cliente poderá ficar na mão.

Benefício do cartão de crédito

Muitas administradoras de cartão de crédito oferecem seguros de viagem quando a passagem é comprada com o plástico, sem cobrança adicional. É um benefício, mas precisa ser analisado com atenção porque ele pode ser bem menor do que parece ser, à primeira vista.

A primeira coisa a fazer é checar o tipo de cobertura oferecida e os valores cobertos. Alguns disponibilizam, por exemplo, seguro para morte acidental, mas não cobrem despesas médicas. Nesse caso, o ideal é buscar uma cobertura adicional em outras seguradoras no mercado.

Avalie orçamentos e propostas

Economizar é a palavra de ordem nos dias atuais, mesmo quando o assunto é vida e saúde! Por que pagar mais caro por um produto ou serviço, se ele pode ser adquirido a preços mais acessíveis na concorrência? Não faz o menor sentido.

Então, durante a preparação para a viagem é bom reservar um tempo para solicitar muitos orçamentos de seguro e comparar tipos e valores de coberturas e o preço do prêmio a ser pago para contratação. As condições de pagamento, como parcelamento sem juros também podem ser um influenciador na decisão.

O importante é que o cliente avalie o melhor custo-benefício e esteja bem atendido em todos os aspectos: de coberturas que oferecerão tranquilidade na viagem e também financeiro, com o pagamento de valor justo pelo serviço contratado.

Com as facilidades da internet, o viajante pode solicitar diversos orçamentos em sites de seguradoras e montar uma tabela no computador ou aproveitar as planilhas que algumas plataformas comparativas oferecem online.

O preenchimento dos formulários de cotação geralmente é bem simples e exige poucos dados do cliente, como idade, destino e duração da viagem.

Mas aqui vai um alerta: a máxima de buscar economizar vale apenas quando o parâmetro comparativo é coerente, ou seja, quando se compara valores a serem pagos pelo cliente para ter direito a coberturas iguais ou bastante similares. Economizar contratando o seguro mais barato e que terá a cobertura mais simples pode representar um grande prejuízo em caso de sinistro.

8 erros para evitar ao contratar um seguro de viagem

A contratação de um seguro de viagem é algo simples, porém deve ser cercada de cuidados para trazer os melhores resultados, caso seja necessário acionar o serviço.

Então vamos falar de alguns erros comuns e que precisam ser evitados na horada contratação!

1. Pensar que nunca acontecerá algo errado

Quando nos preparamos para uma viagem, só temos pensamentos positivos, planejamos só boas coisas: passeios, baladas, praias, comidas a serem experimentadas… Pensar que algo pode estragar tudo isso muitas vezes foge da nossa mente ou, quando nos conscientizamos, nos esforçamos para convencermos a nós mesmos de que nada acontecerá, aliás, nunca passamos por uma situação difícil em uma viagem…

É bom lembrar que pode haver uma primeira vez para tudo nessa vida, não é mesmo? Ninguém está livre de um acidente ou de um mal estar em viagem e isso precisa ser considerado na tomada de decisão sobre a contratação de um seguro.

2. Contar com atendimento em rede pública

Muitos viajantes acabam contratando os seguros mais básicos e baratos, pensando que só precisarão para pequenas ocorrências e, em caso de situações mais drásticas, terão atendimento na rede pública do país de destino, especialmente se for um país desenvolvido.

Ledo engano. Alguns países ricos, como os Estados Unidos, e alguns europeus, são conhecidos pelos valores altíssimos cobrados em atendimento hospitalar tanto para residentes quanto para turistas.

Então, nada de economizar na contratação de um seguro pensando que terá algum tipo de suporte no país de destino porque isso provavelmente não acontecerá e os prejuízos certamente serão altos.

3. Ficar apenas com o seguro do cartão de crédito ou da agência de viagem

Muitas pessoas não verificam a cobertura oferecida pelo seguro embutido no cartão de crédito utilizado na compra das passagens e contam apenas com ele no caso de algum imprevisto.

O mesmo acontece com os pacotes de viagem que oferecem o seguro como se fosse um brinde juntamente com passagens e hospedagem.

Boa parte deles oferece coberturas básicas, as quais não devem ser descartadas, mas merecem um complemento de coberturas adicionais oferecidas por outras seguradoras.

4. Deixar de se informar sobre as cláusulas da apólice

Realmente ninguém gosta de ler manual de produtos recém-comprados nem contratos nem apólices, mas no caso de seguro viagem é importante uma leitura atenta de todas as condições porque quando acionamos esse serviço, provavelmente estamos com problemas e sem cabeça para ler documentos extensos, discernir informações e, assim, podemos não aproveitar o melhor dos benefícios contratados.

Por isso vale a pena se informar antes de fechar o negócio e, antes de viajar, deixar assinaladas as informações mais relevantes para facilitar a consulta em situações extremas.

5. Ter preguiça de pesquisar e contratar

Não tem desculpa! Hoje o método de venda e contratação de seguros e assistência viagem são muito práticos.

Tudo está disponível na internet, não é preciso enviar qualquer cópia de documento para a seguradora, não há nenhum tipo de perícia ou vistoria e, ao final do processo, a apólice será enviada por e-mail, podendo ser consultada do próprio celular do cliente, em caso de necessidade.

6. Economizar em vez de prezar pela qualidade

Já dissemos aqui que economizar é importante, sim! Mas a economia não pode prejudicar a qualidade do atendimento que será recebido em algum momento de fragilidade.

Então vale a pena reforçar a necessidade de comparação entre propostas e buscar a de menor valor dentre aquelas que oferecem as condições mais adequadas para cada viagem.

7. Omitir informações

O crime não compensa. Já ouviu falar nessa expressão? Ela cabe aqui pra ilustrar aquela pessoa que sabe que vai dar uma esticadinha nos países que fazem fronteira com o destino principal, mas insistem em omitir essa informação. Ou ainda aquele que sabe que vai esquiar na neve e marca um “não” na questão sobre a pretensão em realizar esportes radicais.

Uma apólice de seguro de viagem é um contrato como outro qualquer. E a lei de um contrato é: o combinado não sai caro! Então, em uma emergência, a primeira coisa que a seguradora checará é se o fato ocorrido está coberto e devidamente informado no questionário de levantamento de informações. Se não estiver, nada feito. Simples assim. O cliente receberá a informação de que não terá a cobertura disponibilizada e amargará o prejuízo ou o abandono em situações mais complicadas.

8. Deixar o importante para depois

Não que seja impossível contratar um seguro já durante o período da viagem, mas o ideal é resolver isso antes.

E todo cuidado é pouco com seguros contratados no exterior, porque eles podem ser até mais baratos, mas também pecam em não oferecer suporte para contato no Brasil, não se submetendo, inclusive, à legislação brasileira, como a de defesa do consumidor.

Como identificar um bom seguro de viagem?

Um seguro de viagem é um serviço e, por isso, é regido por normas e o consumidor está respaldado pela legislação.

Quando vamos contratar um serviço, nos preocupamos em pesquisar a idoneidade da empresa prestadora e isso deve ser replicado para o caso do seguro de viagem.

Nesse caso específico, há um órgão regulador responsável pelo controle e fiscalização do mercado de seguros. É a Superintendência de Seguros Privados (Susep) e ela pode ser consultada para tirar dúvidas quanto à procedência de uma seguradora ou corretora de seguros.

Há também a Associação Brasileira de Cartões de Assistência (ABCA), que congrega diversas operadoras de seguro, garantindo um padrão de qualidade nos serviços prestados. Não custa nada consultar no site da empresa ou no da ABCA se a seguradora é associada.

Uma outra forma de se sentir confiante na hora de contratar um seguro ou assistência viagem é consultar sites de reclamações de clientes na internet. Dar uma conferida nos depoimentos e experiências de outros clientes pode ajudar na decisão sobre contratação ou não de determinada empresa.

Uma dúvida comum também ocorre sobre a validade dos seguros emitidos pela internet. É seguro comprar nos sites das seguradoras sim. Inclusive esse é o meio mais utilizado, na atualidade, exatamente pela facilidade de simulação de propostas e pagamento via meios digitais. O único alerta é aquele válido para qualquer tipo de compra online, a respeito dos certificados de segurança do site. Isso normalmente pode ser verificado com a existência do símbolo de um cadeado na barra inferior do portal.

Uma última dica é estar bem ciente de tudo o que está sendo contratado e, para isso, vamos repetir a lição: a apólice precisa ser lida cuidadosamente antes de fechar o seguro e, sempre que tiver alguma dúvida, é importante entrar em contato com a seguradora.

Esteja orientado para um momento de necessidade

Mais uma vez vamos reforçar: leia todo o regulamento e cláusulas da apólice contratada antes da viagem para ficar ciente de tudo o que está coberto.

Outra providência útil e que dá mais segurança, é deixar uma cópia de toda essa documentação com um conhecido no Brasil. Caso ocorra um acidente, é importante que os parentes saibam quais os direitos estão garantidos na apólice.

É importante guardar o código que identifica a apólice para apresentar às autoridades caso necessário, durante a checagem na imigração. Também é interessante imprimir uma cópia do contrato e dos termos de uso para consultar com facilidade e não ficar à mercê de disponibilidade de bateria do celular ou até mesmo dependendo do próprio celular, que pode ser perdido ou destruído em um acidente.

Anotar os telefones para contato no país de destino e também no Brasil é outra dica relevante. Em momentos de aflição, tarefas simples podem ser inviáveis de serem realizadas. É importante ter à mão, da forma mais fácil e ágil possível, as informações para acionamento de ajuda.

E como a apólice é o documento oficial do seguro, não custa nada andar com uma versão impressa durante os passeios. Se a ocorrência for algo simples, você terá facilidade para identificar as informações necessárias para acionar a seguradora. E, caso a situação seja um pouco mais séria, quem prestar socorro saberá da existência do seguro e poderá tomar as providências necessárias.

Em caso de necessidade de acionamento das coberturas do seguro, a comunicação com a central é fundamental. Nessas horas, toda orientação é válida e pode poupar trabalho posterior de busca e retirada de documentação comprobatória de despesas, por exemplo.

Não se esqueça de guardar todos os comprovantes de despesas eventualmente pagas, bem como laudos médicos e atestados, caso a seguradora solicite para confirmar o ressarcimento. E mantenha sempre uma cópia de toda documentação entregue à seguradora nos pedidos de indenização.

Sempre ligue para a seguradora antes de acionar o seguro, pois a companhia poderá determinar o hospital ou médico para o atendimento. E mesmo se a opção for solicitar reembolso, a empresa poderá colocar dificuldades caso a comunicação não tenha sido feita antes da realização da despesa. Tudo isso varia de contrato para contrato e o importante é agir dentro do que foi combinado com a seguradora.

Conclusão: viajar tranquilo não tem preço

Mesmo nas viagens internacionais a países que não exigem seguro, o ideal é sempre viajar segurado e não se preocupar com despesas eventuais com assistência médica, compra de remédios e acessórios de saúde, extravio de malas e muitas outras coberturas que podem ser contratadas de acordo com a necessidade de cada viajante.

Seguro morreu de velho, então vale a pena se esforçar para minimizar imprevistos desagradáveis que possam acontecer longe de casa. Afinal, o que menos queremos ter em uma viagem é preocupação e a sensação de insegurança de estar diante de uma situação ruim e sem apoio.

Esperamos que este post tenha sido esclarecedor sobre uma premissa que precisa ser internalizada por todo viajante, seja ele de primeira viagem, o frequente ou o que só viaja a serviço: a tranquilidade de viajar coberto por um seguro não tem preço!

Queremos concluir com uma frase impactante para não deixar dúvidas sobre a importância de se contratar um seguro ou assistência: em alguns países o seguro viagem é obrigatório, mas em todos ele é indispensável!

Não espere passar pelo pior para se conscientizar da importância da prevenção. Esqueça tudo o que estiver impedindo seu pensamento a respeito da relevância desse serviço, especialmente a parte financeira. Até porque existem produtos bastante acessíveis no mercado, basta pesquisar bem.

Por fim, deixamos registrado nosso desejo de que a próxima e todas as outras viagens da sua vida sejam prósperas, divertidas e enriquecedoras. E que você possa aproveitar todos os momentos com plenitude, disposição, saúde e muita serenidade!

Você é daqueles que adora a sensação de estar de malas prontas, só esperando a hora do embarque? Então não deixe de curtir nossa página no Facebook e acompanhe nossas novidades sobre o mundo das viagens!

compartilhar no facebook compartilhar no twitter
Compre aqui seu seguro viagem
Como podemos falar com você?

Segue a gente